terça-feira, 6 de novembro de 2012

Flores de Ontem


Flores de ontem
Depois de uma noite
Não estão mais lá


Garrafa


Calor da boca
Da garrafa sumindo
Por água passar


terça-feira, 28 de agosto de 2012

Sinos Ressoam


Sinos ressoam
Se sabendo o porquê
Ou sem o saber


O Cão que Late


O cão que late
Pode morder bastante
Sem a mordaça


Ruas de Humanos


Animais andam
Por ruas de humanos
Que se irritam


Céus Nublados


Em céus nublados
O Sol qual uma lua
Lua não se vê


Pombos


Pombos de asas
Pretas, cinzas e brancas
A voar juntas


Catástrofes


As catástrofes
Vão se acumular mais
Por menos se ver


Mágica


Parangariko
Tirrimirruaru é
Mágica pra mim.


Pétalas


Suas pétalas
Me dizem querer ou não
Desde início.


Por Olhos Finos


Por olhos finos
O mundo se faz melhor
Que pelos outros.


Pequenas Flores


Pequenas flores
De beleza sublime
Num muro frio


Caem os Dias


Caem os dias
Com a luz a se fechar
Em cada, um a um