domingo, 25 de dezembro de 2011

embrulho


bem embrulhado.
Não se sabe ao certo
porque do sentir


sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

pele


pele resseca
e cai quase completa.
Serpente soa


Cururu


cururu pula
um calor que abunda.
Água tremula

Revoada


Esverdeadas
Nuvens entre prédios
Traz revoada


Madrugada


Vermelho azul
Trocando carícias
Virando ouro


Luz


Luz sobre montes
Dourad'o verde toma
Cristais das fontes

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Festa


cones brilhantes
e cubos coloridos.
Visões alegres

Arruda alta


Arruda alta
Um' ararinha-azul
Cai com a planta

Cachoeira


água despenca
com nuvem mistur'a luz.
Cores em arco


Verão


a luz descende
clareia céus, permeia.
Calor ascende.


Vibração


tremem os dedos,
se vê identidade.
Como atender?

Pinhas


esbranquiçadas
ao chão, pinhas syespalham
juntwa crescidas

Água Fria


flocos de neve
tocando mornas palmas...
A se derreter

De olhos fechados


Com olhos vagos
A mente se apaga
E somos magos